Kosoen

O crescimento de Tóquio, metrópole mais populosa do mundo, transformou muitas áreas rurais a seu redor em cidades dormitório. Tive o privilégio de conhecer um oásis preservado e que fica a apenas 20 km da capital japonesa. Visitar a propriedade da família Murano é voltar ao Japão do século 19.

A casa principal foi construída em 1838 e é um exemplo encantador da delicadeza e simplicidade na decoração. A harmonia do ambiente interno se completa com a paisagem vista pela janela.

IMG_2382

IMG_2359
IMG_2378

Olhando de perto é ainda melhor:

IMG_2376 IMG_2374 IMG_2369 IMG_2385

IMG_2368

Esse tesouro que se chama Kosoen só é aberto ao público duas vezes por ano, na primavera e no outono. A minha visita foi na estação das folhas vermelhas e amarelas, que emolduram o jardim e a vegetação nativa preservada, chamada poeticamente de Musashino – a natureza que não foi tocada pelo homem.

Vamos lá fora?

IMG_2400 IMG_2393 IMG_2388 IMG_2355 IMG_2411 IMG_2330 IMG_2329 IMG_2322

Isso tudo já seria suficiente, não é? Pois em Kosoen, ainda temos mais uma atração, uma pequena plantação de chá. Lembram que eu contei que aqui era uma área rural? Pois essa ainda é a atividade da família Murano. O chá aqui no Japão, depois de colhido é preparado por cozimento a vapor, esmagado e ressecado. O processo é longo e cheio de etapas, o principal objetivo é que a folha da Camellia Sinensis preserve ao máximo seus nutrientes. A mesma planta dá origem aos outros chás, como o preto e o branco, mas esses passam por um processo de fermentação ausente no método japonês. Aqui, pela primeira vez visitei uma plantação de Camellia Sinensis. Mês passado, em outubro, ela ainda estava cheia de flores, mas com a ajuda das minhas amigas brasileiras, ainda consegui encontrar algumas.

Para terminar este post, o significado da palavra “Kosoen”: um jardim para se olhar para trás e refletir.

Anúncios