A educação para o século 21

Há anos que venho refletindo muito sobre a grande revolução que impactou especialmente a minha geração, os nascidos na década de 70. Fomos educados para o século 20, em escolas tradicionais que focalizavam o aprendizado do conteúdo. Fomos preparados para conquistar um emprego estável, de preferência ficar na mesma empresa por toda a vida, até a aposentadoria. Considero que a mudança que começou a  acontecer no mundo no início da nossa vida adulta seja tão ou mais radical do que a Revolução Industrial.

Estamos na era da comunicação. Os empregos não são mais estáveis. O profissional tem que ser criativo, saber se relacionar com os outros, falar línguas, não ter medo de mudar de emprego. Se acomodar em uma estabilidade, nem pensar.

Acho que a minha geração foi a que mais sofreu e sofre com todas essas mudanças. Sofremos no mercado de trabalho e também para criar nossos filhos.

Para mim, isso tudo é fascinante. Sempre busquei para os meus filhos uma educação voltada para esses desafios. A escola das crianças aqui em Tóquio foi fundada para preparar os futuros adultos desse novo mundo. Traduzi para o português o lema da TIS, que foi colocado na parede do hall de entrada nas diferentes línguas faladas pela comunidade multicultural que tem os filhos lá.

IMG_0741

Já tenho escrito bastante sobre esse assunto aqui no blog, e muitos outros posts virão. Uma constatação importantíssima feita pelo fundador da escola, com quem eu já tive o privilégio de conversar várias vezes, é que as crianças passam apenas 20% do seu tempo na escola (isso no caso do Japão, em outros países, pode ser até menos). Portanto, os pais são os principais educadores. A maior responsabilidade está em nossas mãos.

Não temos a menor ideia de como será o futuro, de que profissões existirão quando as crianças de hoje forem adultas. O que podemos fazer é ajudá-los a desenvolver as ferramentas necessárias para enfrentar o que vem pela frente. E cultivar neles os valores fundamentais, que são muitos:

Empatia, entusiasmo, curiosidade, confiança, tolerância, respeito, criatividade, gratidão, compromisso, independência, cooperação, integridade. Responsabilidade social, consciência ecológica, generosidade. Ufa!! A missão que temos como pais é difícil e maravilhosa.

O vídeo abaixo mostra, através de uma animação simples, alguns desses valores. Eles devem ser capazes de trabalhar em cooperação, pensar em conjunto, não ter medo de experimentar, se arriscar. Não existe fórmula pronta a ser aprendida, decorada e seguida. Isso hoje é feito pelas máquinas, pelos computadores. Mas só o homem pode ser criativo, pode somar forças com pessoas diferentes. Estar aberto ao outro é fundamental.