Reflexões

Ciclos

Todo ano no início da primavera, o povo daqui mergulha do ciclo de vida das flores de cerejeiras intensamente. Curtem todas as fases, desde o surgimento do botão nas árvores secas até a queda das pétalas, quando já começam a nascer as folhas verdes que ficarão até o outono. Para uma carioca que não está acostumada com mudanças nas estações, é uma experiência que ensina muito.

Minha professora de japonês, Izumi, comentou uma vez que o sentimento deles nessa época é uma mistura de contemplação, festa e também tristeza. Ao testemunhar um ciclo tão rápido, que dura em média 2 semanas, lembra-se do quanto a vida é curta. As sakuras são uma metáfora do nascimento, vida e morte de todos nós. Constatamos que tudo tem fim, e esperamos o recomeço que virá um ano depois.

A contemplação da beleza efêmera me lembra o quanto é importante viver no presente, e não antecipar tanto o futuro. O cenário que pintamos dentro do nosso processo de ansiedade muito raramente se concretiza, por isso não há razão para gastarmos nossa energia imaginando o que vem pela frente. Até porque quando estamos fazendo isso deixamos de viver o agora.

Faço um paralelo com o que o Brasil vive nesse período tão turbulento. Vejo com muita tristeza a polarização e a falta de diálogo, e observo que os dois lados imaginam um futuro catastrófico caso aconteça o que não querem. O momento presente no Brasil é complicado, cheio de conflitos. Viver intensamente um presente tão incerto e angustiante não é fácil, mas é necessário. No futuro, pode ser que venha uma transformação positiva, seja qual for o desenrolar dos acontecimentos. Ou talvez a situação ainda piore antes de melhorar. O importante agora na minha opinião é não desperdiçar energia antecipando consequências imprevisíveis. Quando fazemos isso, paralisamos a ação necessária e deixamos de encarar os fatos de frente.

Volto à metáfora das cerejeiras para deixar um pouquinho de energia positiva e inspiração por aqui. Gostaria muito de ter presenciado e filmado essa cena, que me foi contada por uma querida amiga, Estela. Ela estava passeando por entre as cerejeiras em flor quando percebeu um grupo reunido embaixo de uma árvore. Eles observavam embevecidos  alguns passarinhos que brincavam com as flores, cantando e pulando sobre os galhos. O movimento fez com que uma pétala se soltasse e caísse lentamente. Neste momento, todos soltaram um “oooohhhh” ao mesmo tempo. Uma simples pétala pode causar felicidade quando estamos realmente mergulhados no que nos cerca, sem a poluição causada por tantos pensamentos e antecipações de um futuro desconhecido.

3 replies »

  1. O sentido da floração das cerejeiras nos faz pensar e serena o coração. É muito bom ler seus textos. Obrigada & parabéns. Abs, Regina

    Gostar

Pode comentar!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s