Caminho

A meditação e o agora

Viver o agora, este momento, evitar pensar no futuro e remoer o passado, essa seria a receita da felicidade, proferida por tantos livros de auto-ajuda e já reverberada no senso comum. Na teoria, faz todo o sentido realmente. Se livrar da ansiedade e da depressão com uma simples atitude, que maravilha seria.

Mas como é difícil conseguir o que parece tão simples… Eu estou progredindo muito devagar, e o meu caminho é a meditação, técnica milenar que é o alicerce do budismo, religião dominante no país para onde o destino me trouxe. Comecei a prática em 2010,  e desde então já experimentei vários métodos, li alguns livros e aos poucos sinto os efeitos da transformação ainda muito sutil que se desenvolve de dentro para fora e é muito, muito profunda.

Sempre que alguém dizia que eu devia meditar, me recusava argumentando que a minha cabeça pensa demais, e que era impossível esvaziá-la. Como ainda não conhecia nada sobre a prática, achava que meditação significava não pensar em nada. Não é isso. Qualquer pessoa é capaz de meditar. Em linhas bem simples, o que se deve fazer é sentar-se em uma posição confortável, fechar os olhos e direcionar o pensamento a algum foco, que pode ser a respiração, um mantra, as sensações do corpo, os barulhos externos – as possibilidades são muitas. Rapidamente, o pensamento começa a divagar. Assim que se percebe isso, é só voltar para o foco. A meditação é esse exercício: perceber que se saiu do foco e voltar para o foco, o que acontece inúmeras vezes durante cada sessão.

Voltar para o foco é justamente viver o presente. Com o tempo, a prática da meditação vai me habilitando a fazer o mesmo no dia-a-dia. Quando a ansiedade aparece, já sou capaz de rapidamente perceber que estou focando no futuro, planejando demais, imaginando, fantasiando, sonhando, e aí volto a minha atenção para o que estou fazendo naquele momento. É um exercício, leva tempo para se sentir os efeitos, mas posso dizer que é sim transformador.

5 replies »

  1. Qdo temos um problema financeiro ou um gasto qualquer ,sacamos da conta corrente o dinheiro necessário para fazer suprir nossas necessidades . E para as nossas carências espirituais, de onde tiramos recursos? Da conta aberta no banco do Céu , Mas o qto temos investido nela ?
    Na conta celestial se depositam perdão , caridade , amor, benevolência para com o próximo, sorrisos , abraços , alegria , amizade e tantas outras “moedas” que tornam a vida mais feliz, não apenas a nossa , mas tbem a vida daqueles que, de alguma forma , cruzam o nosso caminho.
    Invariavelmente , porém, nossa conta celestial está zerada por falta de investimentos , e nada teremos para sacar na hora em que alguma crise nos surpreender. A nossa vida passa a ter valor quando vivemos de tal forma que a vida não é só boa para nós , mas tbem boa e agradável para os outros
    Beijos….

    Gostar

  2. Meditar é “quase” impossível pra mim. Minha cabeça está sempre cheia de pensamentos. Mas sei que faz bem meditar para se viver o presente e “drenar” a ansiedade do futuro. Vou tentar me exercitar como vc propôs. Beijos, Taiga

    Gostar

  3. Eu comecei, parei e estou recomeçando.. Confesso que as vezes dá a maior preguiça, mas sei que se insistir, cada dia será mais fácil.
    Seu blog me deu força. valeu,
    Beijos

    Gostar

Pode comentar!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s